Convenção Autárquica 2016 - Novos Desafios Sociais (Clique aqui)

Convenção Autárquica 2016 – “Autarquias Locais: Novos Desafios Sociais”

Realizou-se no dia 25 de Junho, no Complexo Desportivo de S. Domingos de Rana, a Convenção Autárquica do Partido Socialista de Cascais com o objectivo de debater os problemas do Concelho, em particular, nas áreas da Saúde, Educação e da Acção Social.

A abertura da Convenção esteve a cargo do Presidente da Concelhia, Luís Miguel Reis, que apresentou os objectivos da iniciativa, salientando a sua importância na partilha de conhecimentos, entre diversas instituições locais e o PS, para o enriquecimento da proposta autárquica a apresentar nas eleições de 2017.

Luís Miguel Reis salientou a importância do evento indicando que "o projecto autárquico que apresentaremos em 2017 consolida-se sobre um triângulo já identificado, onde os vértices são a coesão sócio-territorial, o desenvolvimento sócio-económico e a sustentabilidade ambiental".

Referiu, ainda, que o Partido Socialista de Cascais tem trabalhado, junto da população e das entidades do concelho, na construção de uma alternativa política credível que será corporizada por um candidato forte, motivado, e com as características ideais para vencer as próximas eleições autárquicas.

No painel de abertura a Secretária-Geral Adjunta do Partido Socialista, Ana Catarina Mendes, saudou a organização da convenção pela iniciativa, salientando a sua importância na formação dos quadros políticos e no encontrar respostas às necessidades das populações.

Aproveitando a ocasião, recordou a necessidade do reforço das competências das freguesias, visto estas estarem mais próximas das pessoas e onde mais rapidamente se podem demonstrar as diferenças de políticas entre projectos alternativos.

Ana Catarina Mendes, lançou o desafio de repensarmos a política das cidades, uma política de cidade capaz de ter inclusão, coesão mas redinamização económica, sem a qual não é possível ter qualidade de vida. Terminou a sua intervenção afirmando que em Outubro de 2017 o Partido Socialista será a força política maioritária nas autarquias em Portugal.

No Painel da Saúde participaram os oradores Manuel José Lopes, Coordenador Nacional para a reforma do S. N. S. na Área dos Cuidados Continuados Integrados; Helena Baptista da Costa, Directora Executiva do Agrupamento de Centros de Saúde do Concelho de Cascais e Adalberto Campos Fernandes, Ministro da Saúde, que destacou que "mais importante que tratar dos nossos doentes é fazer com que os nossos cidadãos não fiquem doentes".

O ministro partilhou a expectativa de que num futuro próximo "mais de 20.000 residentes no concelho poderem vir a ter médico de família".

Ainda neste tema, o governante referiu que o SNS tem particularidades inerentes às características socioeconómicas da população, havendo"uma população menos protegida e uma mais favorecida" e que as áreas onde é necessário um maior reforço de resposta são as áreas do "envelhecimento activo, dos cuidados de saúde de proximidade, dos continuados e melhorados e dos cuidados de saúde na família".

No segundo painel da convenção foi debatido o tema da Acção Social, com a presença das oradoras Maria de Lurdes Rocha Vieira, Presidente do CRID (Centro de Reabilitação e Integração de Deficientes); Elsa Pereira, da ABLA Portugal e Susana Ramos, Directora do Departamento de Desenvolvimento Social na Câmara Municipal de Lisboa que partilhou diversas experiências profissionais que podem servir de boas-práticas para o concelho.

No último painel discutiu-se o tema da Educação, tendo participado Jorge Manuel Gonçalves, Coordenador do Mestrado de Urbanismo e Ordenamento do Território do Instituto Superior Técnico; Maria Teresa Lopes, Directora do Agrupamento de Escolas Ibn Mucana; Rui da Costa Pereira, Vice-Presidente da Câmara de Sintra e Alexandra Leitão, Secretária de Estado Adjunta e da Educação.

A Secretária de Estado abordou as cartas educativas, a forma como estas se relacionam com o papel dos municípios no sistema educativo e, em particular, a importância da educação na estratégia de desenvolvimento dos municípios.

Alexandra Leitão deixou ainda clara a importância da “generosidade dos autarcas” no que à educação se refere, e que seria muito difícil ao ministério da educação, com números como aqueles com que ministério lida, fazer face a todos os desafios sem o apoio dos autarcas, já que "são um milhão e duzentos mil alunos que diariamente entram nas escolas, o que conduz a um problema de escala e que origina que qualquer alteração resulte em impactos económicos gigantescos".

Noutra vertente deste desafio, a governante recordou que para além dos números há o problema da heterogeneidade do território – "com zonas mais urbanas e outras mais rurais" – o que motiva que soluções abstractas possam ser adequadas a um caso e a outro não, "daí que é indispensável reforçar a colaboração [com as autarquias] para se atender às necessidades concretas das realidades onde são aplicadas medidas".


Intervenção dos oradores do Painel da Saúde:

 
 

Intervenção dos oradores do Painel da Acção Social:


Intervenção dos oradores do Painel da Educação:


Registo fotográfico do evento disponível aqui.

Posted in Notícias.